Deloitte aposta em transformação digital feita de forma parcial e gradativa

Segundo os especialistas da área de SAP da consultoria, é necessário mostrar o benefício para todo o negócio, não apenas o ganho do ponto de vista da tecnologia.

Acompanhar a velocidade da transformação digital exigida pela pandemia tem sido um dos maiores desafios para as empresas e seus sistemas corporativos. Embora a meta ainda seja a jornada digital integral, o que inclui migrações intensas de ERPs, é possível encontrar um caminho do meio. Ou seja, um processo que identifica as dores dos clientes e as áreas que necessitam de mudanças mais urgentes, promovendo transformações digitais rápidas e parciais. As modificações mais seletivas e capazes de comprovar valor ao ambiente empresarial têm sido a chave do sucesso da equipe dedicada aos projetos SAP na Deloitte.

Marco Antonio Dearo, sócio da área de SAP da Deloitte no Brasil, diz que a pandemia acelerou a necessidade de transformação digital dos negócios, mas observa que ela pode acontecer de forma mais seletiva. Em vez de promover uma transformação gigantesca, plurianual, o processo prioriza setores de acordo com a realidade do negócio de cada cliente.

“A percepção do valor da tecnologia se torna mais rápida. Essa é a chave da questão: fazer com que as pessoas sintam o valor da transformação mais rapidamente. Isso aumenta o engajamento das equipes, com ganho em quantidade e qualidade”, completa Carlos Eduardo Fogarolli, sócio da Área de SAP da Deloitte no Brasil.

Para 2021, Fogarolli acredita que, em algum momento, serão retomadas as discussões em que o S/4HANA é o habilitador para as grandes transformações digitais. Porém, ele aponta, no curto prazo, para a necessidade mais urgente de descomplicar a experiência do usuário. Segundo Fogarolli, as transformações mais pontuais e com alto valor agregado para o negócio vão ganhar preferência no mundo dos negócios.

“Já reparamos agora um crescimento acentuado em relação à cadeia de suprimentos; muita gente querendo entregar mais rápido e com menor custo. Nesse cenário em que o comércio eletrônico e o varejo foram potencializados, vejo muitas oportunidades ao redor da cadeia de suprimentos”, afirma Fogarolli.

Desde o lançamento do SAP Leonardo, a Deloitte se reconhece como um parceiro protagonista, capaz de acompanhar o mesmo ritmo de transformação vivenciado pela SAP nos últimos quatro anos. De acordo com Dearo, a Deloitte está no topo do ranking dos maiores implementadores de S/4 HANA no mundo. No Brasil, os resultados não são diferentes: a Deloitte aumenta a participação em projetos com soluções inteligentes embarcadas em projetos de ERP que vão muito além da migração da base transacional.

Dearo explica que, nos últimos quatro anos, a consultoria vem trabalhando com o conceito Kinetic Enterprise, a transformação tecnológica para construir um ambiente corporativo inteligente e com potencial de evolução sustentável. Relacionado ao processo de migração que enfatiza as tecnologias inteligentes do S/4HANA, o Kinetic Enterprise se divide em quatro grandes grupos: finanças, cadeia de suprimentos, clientes e talentos (capital humano).

“Quando a Deloitte pensou na abordagem do Kinetic Enterprise – a empresa inteligente –, identificamos, no Brasil e na Europa, uma dificuldade de provar a adoção da tecnologia só pela tecnologia. Era necessário um plano robusto para mostrar o benefício para todo o negócio, não apenas o ganho do ponto de vista da tecnologia”, observa Dearo. “Não bastava reforçar a redução do custo, mas também era fundamental comprovar a entrega de valor para o negócio, habilitar a transformação digital rapidamente e possibilitar a entrada em algum setor que não conseguia participar até então”, completa.

Fogarolli e Dearo contam que a Deloitte começou a trabalhar com ênfase na abordagem do negócio no ano passado. “Foi fundamental não apenas mostrar o valor da solução para os CIOs, mas também ajudá-los a promover internamente a solução para cada área de negócio. Fizemos isso nos quatro pilares do Kinetics Enterprise”, explica Dearo.

Para Fogarolli, a abordagem moldada à necessidade do negócio de cada cliente foi crucial para os sucessos alcançados pela equipe em 2020. Ele afirma que sete projetos SAP foram concluídos sem quaisquer alterações durante a pandemia. “Combinamos a entrega da tecnologia com a capacidade de entender o negócio e o potencial da solução num projeto de transformação digital”, diz.